[email protected]

Palavras a um futuro governante (de Joad para Joás)

Jean Racine Publicado em 19.04.2016

Athalia (Athalie) é a última tragédia escrita pelo dramaturgo francês Jean Racine em 1691. Neste trabalho todos os personagens adquirem dimensões éticas, desaparece o amor apaixonado e abre-se caminho para a crise política. Deus move todas as vontades e paixões humanas. Atalia, viúva do rei de Judá, governa o país e abandonou a religião judaica. Mas seu neto Joás tinha sido salvo pela esposa do Sumo Sacerdote e vai retomar o trono. Alguns críticos, como Roland Barthes denunciam o fanatismo e a violência verbal de Joad, enquanto Atalia seria mais tolerante no campo religioso. Mas isso não foi o ponto de vista durante esse período do reinado de Luís XIV, que tinha radicalizado a perseguição aos protestantes e jansenistas e revogou o Édito de Nantes.

Athalia enfrenta a rebelião clerical para destroná-la e coroar Joás

Meu filho, oh ainda assim vos poderei chamar!

Permiti-me a ternura, o modo de falar,

as lágrimas de angústia, entre tantos horrores,

que me arrancam, por vós, os mais justos temores.

Crescestes junto a mim e do trono afastado.

Assim desconheceis seu clima envenenado.

Do poder absoluto a suprema embriaguez

é verdade também que vós desconheceis.

Ouvireis com frequência os covardes louvores

da encantadora voz dos vis aduladores.

Em breve vos dirão que as mais sagradas leis,

protetoras do povo, estão nas mãos dos reis;

que tendes, como rei, um só freio: a vontade,

tudo imolando em prol de vossa autoridade;

que às penas e ao trabalho o povo é condenado

e com cetro de ferro há de ser governado.

Se por vosso desejo oprimido não for

então não tardará em tornar-se opressor.

De armadilha a armadilha e de abismo a outro abismo,

êles vos levarão ao mais feroz egoísmo.

Destroçando de todo a vossa ingenuidade,

conseguirão que enfim detesteis a verdade.

À virtude darão uma imagem terrível

para que ela se torne odiada e desprezível.

As astúcias são tais, e por que não dizer?

que os mais sábios dos reis se deixam corromper.

Em presença dos fiéis, da escritura sagrada,

jurai que a lei de Deus será sempre aplicada.

Severo para o mal e bom para o infeliz,

mesmo entre o povo e vós será só Deus o juiz,

lembrando de que sob o linho que vos cobre

fôstes órfão também e também fôstes pobre.