[email protected]

Poema para quem quer pouco

Vital Nogueira de Souza Publicado em 30.10.2008

*

Para a resistência iraquiana

Aviões cospem fogo
e mancham a face da humanidade.

Tanques avançam pelo deserto
e levam a morte à civilização.

Homens atiram e (se) desumanizam.
Mártires resistem, a tempestade ajuda

O que desejam homens, tanques e aviões?
O que prometem mártires?

Aviões, tanques e homens querem m-a-i-s,
mártires querem pouco, pedem paz.

 

Vital Nogueira de Souza, natural de Jucurutu/RN, é bacharel em Direito e Licenciado em Letras e Pedagogia. Publicou "Janela Temporã", Natal(RN): Sebo Vermelho, 2007.