[email protected]

Um olhar sobre a floresta

Lucia Ana Publicado em 05.12.2008

*

      Tudo era novo.A floresta, uma imensidão de verde que me cobriu de esperança. Tudo era novo.O olhar parecia pouco diante do infinito.Tudo era novo. As curvas do rio juruá, onde o desenho da vida salta aos olhos. Tudo era novo. Os frutos com sabor de conquista. Tudo era novo. O clima quente e úmido, marcando o tempo e delimitando fronteiras. Tudo era novo. O grupo que se formou amigos.Tudo era novo. O boi que se mostrou em dança. Tudo era novo. Os índios que se revelam gratos por se descobrirem  Brasil.Tudo era novo. Palavras que chegavam como música.Tudo era novo. A travessia que quebrava barreiras.Tudo era novo. Impossível não ouvir os gritos do silêncio. Tudo era  novo. O cheiro das árvores que penetrou no meu corpo. Tudo era novo. As asas das aeronaves que faziam vôos de pássaros. Tudo era novo. A disciplina que me fazia compeender  o sabor da liberdade.Tudo era novo. As águas silentes do rio negro que me aproximavam de um porto. Tudo era novo. Um sorriso que abria portas dentro do meu coração. Tudo era novo. A revolta das águas... turbilhão nos meus sentimentos. Tudo era novo. A timidez que desaparecia no meio da selva. Tudo era novo. A brancura das nuvens, pedaços de algodão doce que transformavam os rios em sonhos. Tudo era novo. As flores rosa no meio da floresta, sinais da manifestação do afeto quando brota.Tudo era novo. O rio solimões que descia das montanhas arrancando da terra a cor da ousadia. Tudo era novo. A sensação de dormir em paz, ouvindo jorrar o coração. Tudo era novo. A noite que sorria para registrar a beleza da fala. Tudo era novo. A vida militar, coragem e altivez para defender o país. Tudo era novo. A proximidade que se afastava para iluminar o espaço. Tudo era novo. Os ventos fortes que viram tempestades de encantação. Tudo era novo. A viagem que carregou a intimidade na bagagem. Tudo era novo. A espera do encontro que fugiu na noite. Tudo era novo. A chuva que caiu revelando sentimentos da selva. Tudo era novo. A luz que abria a boca e derramava desejos. Tudo era novo. O sol que abraçava o tempo, esquecendo o relógio. Tudo era novo. A confiança dos gestos, momentos de saudades. Tudo era novo. O uniforme que trocava a sisudez antecipando a primavera.Tudo era novo. E me descobri apaixonada.