[email protected]

De volta para o passado

Andocides Bezerra Publicado em 05.05.2014

De volta para o passado

 

Godofredo é um sujeito boa praça. Pai de família dedicado, honesto, amigo de todos, humilde e atencioso. Qualidades que, em um primeiro contato, a pessoa já percebe. Uma outra característica de nosso amigo que não passa despercebida é seu desapego por novidades e modas em geral. Para se ter uma pequena ideia, em pleno ano de 2014, nosso personagem ainda usa um acessório que há décadas ficou fora de moda, a pochete. Isto mesmo, o que para a maioria é um apetrecho cafona, para nosso amigo é útil e isto basta.

 

Com muito custo, já há alguns anos, aderiu ao computador. Se empolgou no início e até começou a usar alguns programas e aplicativos. Os anos se passaram e perdemos contato, até que um dia, procurando um livro em uma livraria da cidade encontrei com o Godo, como era conhecido entre os amigos, em um dos corredores. A mesma pochete, camisa de mangas compridas por dentro da calça social em pleno verão paulistano.

 

- E aí, Godo, quanto tempo. Como você está, como está a família?

 

- Estamos todos bem. E você como está?

 

- Não como você mas gostaria!

 

- Que é isto, você me parece muito bem.

 

Ah! Já ia esquecendo de dizer, outra característica do nosso amigo era a dificuldade que ele tinha para entender piadas. Mesmo as bobinhas como está.

 

Depois de alguns minutos de "quanto tempo", "e naquela época" e "como o tempo passa né?" O Godo entrou na sessão lamentações.

 

- Meu amigo, estou com uns problemas em meu computador.

 

- Verdade, Godo? O que está acontecendo?

 

E como uma enxurrada de altas doses de naftalina, o Godofredo disparou:

 

- Então, faz algum tempo eu fiz uns cursos para trabalhar com diagramação. Queria dar um "up" na minha vida. Como vocês falam. Então instalei alguns programas e comecei a trabalhar. O problema é que dias atrás o meu Windows 3.11 começou a travar e com isso trouxe problemas para o Aldus PageMaker que também não abre mais. O CorelDraw 4 também não está funcionando direito, estou desesperado. Para você ter uma ideia, eu precisava gravar alguns disquetes e não consegui. Tive que recorrer ao zip drive. Aliás, meu velho, tá uma dificuldade tremenda achar disquetes no mercado, não sei o que acontece. Então, em meu desespero, fui atrás de alguém para me ajudar. Entrei em umas comunidades do Orkut e não achei muita coisa, acho que não estão atualizando muito. Mandei um e-mail para aquele nosso amigo, o Augusto, que consertava computadores e o e-mail dele, que é [email protected], voltou. Não sei porquê? A última tentativa que fiz foi entrar no ICQ para ver se encontrava quem pudesse me ajudar mas, não sei o que aconteceu.

 

E como que sussurrando me diz:

 

- Não tinha ninguém on-line.

 

Depois de uma pausa para respirar, o que também me ajudou a recobrar minha própria sanidade, ele pergunta com aquele ar de teoria da conspiração:

 

- Será que sou eu que estou ficando louco ou todo mundo parou de usar computadores?

 

Aí eu pergunto, o que dizer para uma criatura desta?

 

 

Andocides Bezerra