[email protected]

Leda e o Cisne

William Butler Yeats Publicado em 03.07.2014

Leda e o Cisne


Um golpe súbito: as grandes asas batendo ainda
Sobre a jovem cambaleante, as coxas acariciadas
Pelas palmuras negras, a nuca segura ao bico,
Ele a mantém inerme, o colo contra o colo.

 

De que modo poderão os vagos dedos temerosos
Repelir, de entre as coxas que já cedem,
Essa glória emplumada?
E que fazer o corpo, entregue à urgência branca
Senão sentir pulsando de onde jaz
O estranho coração?

 

Um frêmito nos flancos lá engendra
A muralha ruída, tetos em chamas, torre
E Agamenon defunto.
Assim possuída,
Capturada pelo bruto sangue aéreo,
Assumiria o saber dele como seu poderio
Antes que o bico indiferente a deixasse cair?

 


William Butler Yeats  - (tradução de Mário Faustino)