Notícias

Fundação Grabois firma convênio inédito com instituto peruano

Cezar Xavier Publicado em 15.11.2013

Ricardo Buendia, do instituto José Carlos Mariategui, no Peru, firmou uma proposta de intercâmbio de formação política com o presidente da Fundação Maurício Grabois, Adalberto Monteiro. À Rádio Vermelho, durante o 13o. Congresso do PCdoB, ambos falaram sobre a parceria objetiva para ampliar as reflexões a formação política sobre a história e debate atual de integração entre Brasil e Peru. Cézar Xavier e Joanne Mota da Rádio Vermelho, no 13º Congresso do PCdoB

PARA OUVIR A ÍNTEGRA DAS ENTREVISTAS, BAIXE AQUI OU OUÇA NA RÁDIO VERMELHO!

A Fundação Maurício Grabois firmou um convênio inédito com o Instituto José Carlos Mariátegui, do Peru, para troca de iniciativas de estudo, pesquisa, publicação e formação política. A ideia surgiu do encontro das duas instituições durante o 13o. Congresso do PCdoB, quando mais de 80 delegados internacionais compareceram.
A expectativa do presidente da Fundação Maurício Grabois, Adalberto Monteiro, é de que esse convênio tenha uma agenda de trabalho pela frente, que pode se focar principalmente em reflexões e estudos sobre a América Latina, examinando os esforços sobre a integração do continente. “Embora seja uma integração promovida pelo Estado e pelos governos, esta também é uma integração que se dá por intermédio dos laços entre os dois povos, o povo brasileiro e o povo peruano, que venha se estabelecer através de suas organizações”.
Segundo ele, a Fundação e o Instituto se vinculam a atividades de pesquisa, formação, estudos, memória e história. “Este é um outro veio por onde se pode dinamizar a integração entre estes povos”, diz ele.
Adalberto afirmou que os dois organismos vão examinar também a atividade de intercâmbio por meio de formação e capacitação de quadros políticos, assim como iniciativas como publicações de comum interesse entre elas. Existe a possibilidade de aprofundar no Brasil o pensamento de Mariátegui no Brasil, por exemplo.
Ineditismo
O peruano Ricardo Parodi Buendia afirma que a importância do convênio é considerável, embora num primeiro momento seja apenas um protocolo de intenções, que posteriormente avançará para promover e desenvolver uma série de projetos de estudos na área política, social, econômica e cultural. “A Fundação Maurício Grabois atendeu a gentileza de aceitar e firmar esse convênio, e de forma recíproca, beneficiar ambas as partes”, disse.
Para o secretário de Relações Internacionais do PCdoB e curador da Fundação Grabois, Ricardo Alemão Abreu, o convênio significa a ampliação da cooperação no terreno do intercâmbio teórico entre institutos congêneros ligados a dois partidos comunistas. Ele espera, agora, contribuir para a elaboração de um plano de trabalho anual com o Instituto Mariátegui. “Este é um avanço na cooperação entre brasileiros e peruanos e um passo importante da Fundação Grabois no sentido de, futuramente, buscar novas parcerias internacionais de mesmo tipo”.
O diretor financeiro da Fundação Grabois, Leocir Costa Rosa, comemora o convênio pelo cumprimento de um papel que “está permeado no subjetivo da Fundação, que é promover a integração da América Latina”. Segundo ele, para além do ponto de vista econômico, esse tipo de parceria vai no sentido da integração solidária da América Latina entre correntes de esquerda e de pensamentos comuns que avançam.
Leocir acredita que a Fundação pode contribuir em inúmeras áreas de atuação, promovendo uma aproximação de interesse cultural e social, buscando analisar a realidade do Peru e da América Latina, como um todo. “Temos uma experiência exitosa na Escola do PCdoB, podemos contribuir para a estruturação da instituição com muita experiência, podemos dar uma contribuição importante na área de publicações com uma produção densa, temos a experiência do portal, além de um espaço dedicado à memória comunista, que cabe destaque, contribui para resgatar a memória e a história de todos que lutam pelo socialismo na América Latina”.
Intercâmbio de formação
A reitora da Escola Nacional de Formação do PCdoB, Nereide Saviani, se mostrou entusiasmadas com as novas perspectivas que o convênio abre para a formação comunista. “Do ponto de vista da formação e da propaganda, essa integração é necessária e importante. Esse intercâmbio é parte dos objetivos da nossa escola, de ampliar os seus horizontes tanto no que diz respeito a conhecer como elaborar e formar a militância nesse espírito de integração solidária e democrática.”
De acordo com ela, o próprio programa do PCdoB coloca como um dos pilares do novo projeto nacional de desenvolvimento a integração solidária da América Latina, processo que tem que se dar nos vários planos e aspectos da vida social, cultural, política, econômica, ideológica e teórica. “Um convênio com um instituto como o Mariátegui, que tem os mesmo objetivos de formação teórica, política e ideológica da militância de um partido comunista, é importante como intercâmbio das produções e das análises que são feitas nos diferentes países e também como formação de professores”, explica Nereide.
Conforme esclarece ela, a Escola pode compartilhar experiências de formação de militância e professores, como também compartilhar atividades conjuntas em que professores brasileiros possam contar com os professores peruanos, e vice versa. Essa troca de professores pode se dar tanto em seminários, encontros, como dando aulas nos cursos de ambas as instituições.
“Podemos aproveitar a produção do Instituto sobre a realidade do Peru e sobre o próprio pensamento do Mariátegui, assim como eles em relação a realidade brasileira e o pensamento de Maurício Grabois e outros pensadores e elaboradores brasileiros”.
Nereide antecipa que outros partidos de outros países têm procurado a Fundação Grabois para esse tipo de convênio. “Este será nosso primeiro convênio e protocolo, que nos servirá de piloto para essa articulação maior com os diversos partidos afins, coisa que a gente já faz no Brasil em relação à Fundação Perseu Abramo, faremos com partidos de outros países”.
Difusão de Mariátegui
O historiador Augusto Buonicore destacou o ineditismo do convênio entre a Grabois e um instituto de outro país. “Isto tem a  ver com o projeto do PCdoB de priorizar suas relações políticas  e a troca de experiências e conhecimento nesse campo teórico. É o primeiro passo que a Fundação dá no sentido de ampliar suas relações no campo das ideias e da teoria”.
Mariategui é considerado um dos principais teóricos marxistas da América Latina. Segundo o pesquisador da Fundação Grabois, é um pensador original peruano que não só compreendeu as particularidades de sociedades como a peruana, onde grande parte da população é indígena, como também as peculiaridades da dominação imperialista na América Latina.
“Neste convênio, é estabelecido que a Fundação Grabois passará a divulgar o pensamento do Mariátegui no Brasil. É uma vitória dos peruanos que ajudam a tornar o pensamento dele conhecido no maior país da América Latina, e ao mesmo tempo enriquece o arcabouço de conhecimento no campo do marxismo dos brasileiros”, completa Buonicore.