Notícias

Notas rápidas internacionais 23/04/2018          

Ana Prestes Publicado em 23.04.2018

As Notas Internacionais da cientista política e membro do Conselho Curador da Fundação Maurício Grabois, Ana Prestes, trazem breves comentários sobre a conjuntura geopolítica reunidas diariamente, dando ciência dos principais fatos de interesse político pelo mundo.

Presidente da Nicarágua revoga reforma da Previdência após protestos violentos.

- Com um comparecimento de 65% dos eleitores às urnas, o Paraguai concluiu eleição presidencial neste domingo (22) e elegeu Mario Abdo Benítez. Segundo o Tribunal Eleitoral do Paraguai, com 96% das urnas apuradas, Benítez estava com 46,49% dos votos e seu principal adversário, Efrain Alegre (centro esquerda), tinha 42,72%. Marito, como é conhecido o novo presidente, é filho de um colaborador de Stroessner.

- Nicarágua: desde a quarta-feira (18) o país vive protestos contra uma proposta de reforma da previdência. De lá para cá, algumas pessoas morreram (não há dados precisos divulgados oficialmente, imprensa opositora fala em 23), entre eles um jornalista do El Meridiano que fazia uma transmissão ao vivo pelo Facebook Live.

- Papa Francisco se pronunciou no domingo (22) dizendo estar “preocupado” com a situação na Nicarágua.

- Daniel Ortega, presidente da Nicarágua, informou também no domingo (22) que o Conselho Diretivo do INSS (órgão que cuida da previdência) já havia revogado a resolução 1/317 para abrir diálogo sobre a seguridade social. Ortega mencionou o Papa e convidou as autoridades religiosas do país para a mesa de diálogo sobre o tema.

- Já há quem diga que a técnica do “golpe suave” chegou à Nicarágua. Um dos jornais opositores, que leva o nome de Confidencial, assim descreve os últimos dias: “Mais de 20 nicaraguenses, entre eles estudantes, um trabalhador e um suboficial, morreram nos massivos e simultâneos protestos em diferentes cidades da Nicarágua que começaram na última quarta-feira, 18 de abril, contra as reformas do Instituto Nicaraguense de Seguridade Social (INSS) e desataram uma rebelião cidadã sem precedentes contra o Governo do comandante Daniel Ortega”.

- O Iraque tem eleições marcadas para o dia 12 de maio. Neste domingo (22) um porta-voz do grupo Estado Islamico (EI) teria convocado atentados contra as seções eleitorais do dia 12 (áudio ainda não foi confirmado).

Donald Trump eleito

- EUA é o único país do mundo a se retirar e se opor ao acordo de Paris. No domingo (22), em entrevista à americana CBS, Michael Bloomberg (ex-prefeito de NY) disse que doará 4,5 milhões de dólares este ano para os compromissos financeiros dos EUA com o Acordo Climático de Paris.

- México registrou, no primeiro trimestre de 2018, 7667 homicídios, quase 20% a mais do que no mesmo período do ano anterior (ano mais violento em duas décadas), segundo dados do Governo Federal mexicano e que são colocados sob dúvida por organizações da sociedade civil. México terá eleições presidenciais ainda este semestre.

- México e União Europeia chegaram a um novo pacto de livre comércio. Novo NAFTA está em negociação também.

- Onze imigrantes morreram e 263 foram resgatados com vida de embarcações superlotadas neste domingo (22) na costa da Líbia.

- Em franca guerra comercial, representantes governamentais dos EUA e China devem se encontrar proximamente em Pequim.

- Partido Social-Democrata (SPD) alemão se reuniu neste domingo (22) e elegeu Andrea Nahles como presidente. Primeira vez que a sigla será comandada por uma mulher. Sua concorrente à vaga foi também uma mulher, Simone Lange, prefeita de Flensburg.

- Presidente da Índia, Narendra Modi, deve se se encontrar esta semana com Xi Jinping, presidente da China. Ano passado (2017), China e Índia estiveram envolvidos em uma disputa militar na fronteira com o Tibet.

- Trump twittou neste domingo (22) criticando presidentes anteriores por não terem feito o que ele está fazendo agora em relação à Coreia do Norte.

- Reino Unido pode endurecer legislação sobre uso de redes sociais no país com relação à proteção de menores e adolescentes. Anúncio foi feito pelo ministro da Saúde britânico no “The Sunday Times” deste domingo (22). Segundo ele, Facebook, Twitter, Instagram e Snapchat fazem “vista grossa” quanto ao impacto de seu uso sobre crianças.

- Depõe amanha na Câmara dos Comuns britânica o cientista Aleksandr Kogan. Foi ele quem coletou os dados do Facebook utilizados pela Cambridge Analytica na campanha pró-Trump. Sua relação com o Facebook vem de palestras que dava ao grupo sobre psicologia comportamental.

- Cientista político da Universidade de Stanford, Francis Fukuyama (aquele do “a história acabou” no início dos anos 90), deu entrevista à FSP e disse que Bolsonaro representa “uma verdadeira ameaça à democracia” brasileira.

- Unasul: chanceler boliviano, Fernando Huanacuni, disse que haverá reunião na segunda quizena de maio para eleger novo secretário geral da organização.

- Díaz-Canel recebeu ontem (22) em Cuba, o Presidente da Venezuela Nicolás Maduro. Eleições venezuelanas ocorrem dentro de um mês.